Baião Amargo

by Alex Sant'Anna

/
  • Streaming + Download

    Purchasable with gift card

     

1.
POR UM CLIQUE (feat. Diane Veloso) (Alex Sant'Anna) Conectado e sozinho Da ergométrica bike contemplo a paisagem da janela refém de likes, tretas, matchs, views e líquidas relações Sexo asséptico, mar de bit sem sal repleto de solidões Com headsets em chats Cultivo Tocs tipo tipos do Toc Toc do Netflix Vejo nos cliques de fotos com filtro, Vitrines de ilusões Que de tão fakes parecem um espelho sem luz Refletindo solidões Tem muita gente na minha solidão Tô por um clique Tô por um fio
2.
ESQUECIMENTO (feat. Isaar) (Alex Sant'Anna) Esquece um pouco isso é loucura E por tão pouco vai pirar Esquecer é uma forma de cura Esquecer é uma forma de curar Mas, não é tão fácil quando tá gravado feito tatuagem na memória Não é nada fácil quando vem do nada, Com um cheiro, uma imagem ou trilha sonora. Esquece um pouco isso é loucura E por tão pouco vai pirar Esquecer é uma forma de cura Esquecer é uma forma de curar E ao dormir o travesseiro fala, Sussurra a mesma história em loop infinito E acordado ver passar as horas, com o corpo quebrado, cansado e aflito. Esquece um pouco isso é loucura E por tão pouco vai pirar Esquecer é uma forma de cura Esquecer é uma forma de curar Mas, Nem tudo tem que cair no esquecimento Nem tudo tem que cair no esquecimento Pra andar, o pé tem que apoiar em algum lugar Pra andar, o pé tem que apoiar em algum lugar Coro: Diane Veloso, Flávia Prudente, Mamah, Mayra Felix, Nicole Donato, Prity Reis, Taya e Thiara Meneses
3.
O PESO DAS COISAS (feat. Jaque Barroso) Só quem sabe a distância da saudade É a dona dela Só quem sabe o tamanho da dor É a dona dela Só quem sabe o peso da Culpa É a dona dela Só quem sabe onde o calo aperta É a dona do pé É tanto peso, E apesar de dividir não passa É Tanto peso é tanta luta muito penar é tanta culpa Oh menina corre na porta pra ver Oh menina corre na porta vem cá Ói o Samba de Pareia tá passando As meninas sambando com os seus tamancos Oh menina corre na porta vem cá Coro: Diane Veloso, Flávia Prudente, Jaque Barroso, Jessica Carvalho, Mamah, Mayra Felix, Nicole Donato, Prity Reis, Taya e Thiara Meneses
4.
Bora Lá Bailar (Alex Sant'Anna) Vem, larga mão da dor, bota uma pá de cal em cima de toda essa mágoa. Vê, olha o que restou perceba essa luz latente e vira essa página. Não importa o que possa parecer Se é impróprio o que pesa o seu penar Ah, bora lá bailar, bailar, bailar, enxuga a lágrima.
5.
ESTA NÃO É A CANÇÃO QUE VOCÊ MERECE (Alex Sant'Anna) Eu queria plantar flores em nosso jardim, Mas, além de não ter um jardim eu não sei plantar flores Eu queria construir a varanda dos seus sonhos, Mas, construir eu também não tenho a manha Poderia escrever num papel tudo o que eu sinto, mas poesia não Eu não sei fazer poesia não Poderia te levar numa viagem ao redor do mundo num balão, mas, além de não ter um balão você morre de medo de altura Às vezes eu me sinto mais inútil do que o Roger Poderia comprar alguns tubos de tinta pra num pixo escrever tudo o que eu sinto, mas poesia não. Eu não sei fazer poesia. Eu não sei fazer poesia como uma que eu quero te dar Eu não sei fazer poesia Eu não sei fazer poesia como uma que eu quero te dar
6.
MORRENDO EM PAZ (Alex Sant’Anna e Danilo Duarte) A gente nasce pra morrer e se matar de trabalhar Sonhando em um dia morrer em paz Dorme, acorda, levanta e corre para trabalhar pra um dia poder morrer em paz A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando Pra poder morrer em paz A gente aceita e releva. Abaixa a cabeça, engole sapo pra caralho e se submete Sonhando em um dia morrer em paz Se poda, se molda, esquece e se converte pra um dia poder morrer em paz A gente vai levando, a gente vai levando, a gente vai levando Pra poder morrer em paz Se mata pra fazer um plano funerário familiar Sonhando em um dia morrer em paz Mas as pessoas da sala de jantar Tão ocupadas em nascer e morrer em paz Coro: Abraão Gonzaga, Baruch Blumberg, Betinho Caixa D’Água, Leo Airplane, Maycol Mundoca e Alex Sant’Anna
7.
TUDO EM SEU LUGAR (feat. Karla Lamboglia) (Alex Sant’Anna e Marco Vilane) Traducción al Español: Karla Lamboglia BRXXD2000006 Quanto tempo vai levar pra dissolver a dor Reciclar o velho amor Encontrar o equilíbrio de fazer seguir o mundo como a gente quer Comemorar Tentando inventar um novo jeito de acomodar as coisas, tudo em seu lugar A vida merece respeito, eu sei A medida que avanzamos, nos vamos a ver Pues es agradable tener tu compañia unos días Si bien, frente a la TV... tu y yo nos vamos a desbocar A experimentar una forma nueva de acomodar las cosas Cada uno en su lugar Quien se encarga del resto es el tiempo, yo se Logo o tempo destrói Logo o tempo destrói Logo o tempo destrói, dissolve e rói El tiempo lo destruirá El tiempo lo destruirá el tiempo lo destruirá, porque el tiempo destruye, disuelve y se va. ¿Cuánto tiempo llevará disolver el dolor? Reciclar un bello amor O encontrar el equilibrio de seguir en este mundo como quieras, y celebrar Tentando inventar um novo jeito de acomodar as coisas, cada um no seu lugar Quem cuida do resto é o tempo, eu sei Logo o tempo destrói Logo o tempo destrói Logo o tempo destrói, dissolve e rói El tiempo lo destruirá el tiempo lo destruirá, porque el tiempo destruye, disuelve y se va
8.
ALGO NOVO (feat. Marco Vilane ) (Alex Sant'Anna) Queria ter um jeito pra juntar alegria pra usar naqueles dias frios de tédio e de dor Queria uma ferramenta para acessar minha memória Pra rever meus planos e rir do que passou Queria ter talento para parar o tempo se não totalmente, deixá-lo bem mais lento queria o impossível, reverter estragos queria o tempo todo não ficar querendo algo Algo novo De novo O tempo todo O que não posso ter
9.
AMARGA FELICIDADE Se tudo está bem, quer dizer, meu bem que tudo vai mal, Meu bem, também. a felicidade tem a mágoa de um sofrer de tubarão que dá um salto ornamental mortal num copo d’água. Suma da minha vida e leve sua sombra esse fardo, esse amargor Desapareça, por favor Angustiante ausência Recheada de rancor que só presta pra canção De amor, Sim, esse pavor Esse descontentamento Que dura tanto tempo Que é de endoidecer Que nunca acaba De saudades de você
10.
O Pacto 02:35
O PACTO (Alex Sant'Anna) Anoiteceu tão rápido a gente nem percebeu Quando nos deram o medo Tudo virou breu Os que apagaram a luz Acenderam velas rezaram alto, Proibiram telas E a fogueira já mostra sua chama E nem é São João Enquanto a plateia odiosa clama Mais uma execução Anoiteceu tão rápido Retrocedemos séculos Nos revoltamos estáticos Permanecemos intrépidos Sem perceber o impacto Sem perceber o impacto Sem perceber o impacto Sem perceber o impacto Sem perceber o impacto Do pacto Coro: Diane Veloso, Flávia Prudente, Mamah, Mayra Felix, Nicole Donato, Prity Reis, Taya e Thiara Meneses
11.
À mostra 01:10
À MOSTRA (Alex Sant'Anna) Por mais que eu tente me esconder, eu me mostro Por mais que eu tente me esconder, eu me mostro Mesmo com máscaras e disfarces Seja distorcendo o foco Me escondendo eu me mostro Por mais que eu tente me esconder, eu me mostro Por mais que eu tente me esconder, eu me mostro Ferida aberta, peito exposto Condenado a ter meu rosto Me escondendo eu me mostro

about

Terceiro disco do músico de Sergipe, viabilizado por crowdfunding, traz conceitos do afrofuturismo e funde brasilidades a sons globalizados

A maturidade permeia ‘Baião Amargo’, terceiro álbum do cantor e compositor Alex Sant’Anna. Diferente dos primeiros registros, o novo disco teve cada acorde, vocalização e toda a produção devidamente pensada, elaborado por meio de conceitos bem amarrados do afrofuturismo, da pluralidade das influências (da brasilidade à música globalizada, de Tom Zé à Radiohead) e de participações de peso. São 11 faixas que transbordam em críticas sociais, dores pessoais e alheias, modernismos e alegrias.

Ouça Baião Amargo no streaming aqui: tratore.ffm.to/baiaoamargo.

A arte gráfica da capa de ‘Baião Amargo’ é o ponto de partida para adentrar ao moisaico sonoro de Alex Sant’Anna, com conceito e arte de Carol Patriarca e Larissa Vieira. A trilha sonora de lembranças e daquilo que ainda ele deseja viver e sentir, além de carregar as marcas do passado, aponta para sua arte de forte identidade, como as raízes do boabá (a árvore da vida), que se ramifica em várias vertentes.

O músico de Aracaju (Sergipe), da naturalidade baiana, traz ritmos nordestinos altivos neste disco. O baião é o norte, com arranjos cristalinos conduzindo as canções, e amparado pelas percussões, que se apresentam como uma constante no álbum. A ruptura se dá pela incursão de guitarras limpas, baixos distorcidos em nuances ora progressivas, ora psicodélicas, mas que também pode afluir em uma grande festa, na cadência do samba.

‘Baião Amargo’ nasce a partir de uma vitoriosa campanha de financiamento coletivo (crowdfunding). Viabilizou desde a minuciosa produção, a cabo de Leo Airplane (a produção executiva é do próprio Alex junto à Nah Donato) e, principalmente, a participação de diversos artistas que contribuíram com vozes e acordes no álbum.

As participações, no entanto, surgiram com o disco já inteiramente composto. Diane Veloso (A Banda dos Corações Partidos), na impactante faixa de abertura ‘Por um Clique’, por exemplo, é o contraponto suave à voz grave de Alex. Trazer Jaque Barroso em ‘O Peso das Coisas’ foi natural: a composição é uma parceria. A instigante e moderna ‘Algo Novo’ conta com Marco Vilane, quem Alex chama de ‘parceiro’ e entende bem as ideias do compositor.

Já a forte e ácida ‘Morrendo em Paz’ tem a participação de Luiz Oliva, da banda Snooze. Por fim, ‘Baião Amargo’ tem também uma participação internacional: Karla Lamboglia, do Panamá, é quem traz nuances do folk na doce ‘Tudo em Seu Lugar’.

De tantas particularidades, ‘Baião Amargo’ funde elementos da música brasileira a elementos do afrofuturismo, numa mescla autêntica. Neste disco, Alex Sant’Anna deu continuidade à exaltação desta estética cultural, filosófica e histórica, concebida na década de 1960, que traz o protagonismo do negro. Do processo criativo ao disco em si, o músico alavanca elementos deste movimento de forma lúdica, colorida, pós-moderna e também com os dois pés na realidade.

credits

released May 5, 2020

BAIÃO AMARGO
Produzido por Leo Airplane
Produção Executiva: Nah Donato e Alex Sant'Anna
Gravado no DR5 Estúdio por Leo Airplane e Douglas Reis entre julho e dezembro de 2019 em Aracaju-SE.
Voz de Marco Vilane gravada na Casa Capello por Everson Vilela, São Paulo-SP
Voz de Isaar gravada por Rama Om, na Casa Duz Amigos, Recife-PE
Voz de Karla Lamboglia gravada por Rolando Torrealba no EARS, Panamá
Voz de Diane Veloso e coros gravados por Leo Aiplane e Pritty Reis no Maca Records, Aracaju-SE


Mixagem e Masterização por Leo Airplane no DDB Estúdio

Conceito e arte: Carol Patriarca e Larissa Vieira
Composição Gráfica: Carol Patriarca

Todas as músicas gravadas e arranjadas por:
Abraão Gonzaga: Guitarra
Alex Sant'Anna: Voz
Betinho Caixa D'Água: Percussão
Danyel Nanume: Bateria
Leo Airplane: Teclado
Rafael Ramos: Baixo

Participações especiais:
Diane Veloso: Voz em Por um clique e Backing Vocal em Bora lá bailar
Isaar: Voz em Esquecimento
Jaque Barroso: Voz em O Peso das Coisas
Karla Lamboglia: Voz em Tudo em seu lugar
Luiz Oliva: Guitarra em Morrendo em Paz
Marco Vilane: Voz em Algo Novo



Contatos:
www.alexsantanna.com.br
+55 79 9 9978-7735
contato@alexsantanna.com.br

Disco de Barro (2020)

license

tags

about

Disco de Barro Aracaju, Brazil

O selo DISCO DE BARRO foi criado pelo músico Alex Sant’Anna, para inicialmente dar vazão à produção musical sergipana, viabilizando, promovendo e comercializando seus discos. Com o tempo ampliou seu menu serviços passou a produzir eventos e prestar consultoria na área de produção para músicos locais seja com encontros individuais ou com com oficinas e palestras. ... more

contact / help

Contact Disco de Barro

Streaming and
Download help

Redeem code

Report this album or account

If you like Baião Amargo, you may also like: